Tamanho do texto

Após 14 altas consecutivas, o ¿?ndice de Confiança da Indústria (ICI), indicador-síntese da Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação, caiu 1,0% em abril ante março, segundo informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa é bem distante da apurada no mês passado, quando o ICI subiu 0,6% contra fevereiro.

Após 14 altas consecutivas, o ¿?ndice de Confiança da Indústria (ICI), indicador-síntese da Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação, caiu 1,0% em abril ante março, segundo informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa é bem distante da apurada no mês passado, quando o ICI subiu 0,6% contra fevereiro. Os dados atualizados do índice mostram que, de março para abril, o indicador recuou de 116,5 pontos para 115,3 pontos, na série com ajuste sazonal. A FGV informou que, apesar do recuo em relação a março, o índice manteve patamar elevado em abril, em termos históricos, sendo comparável ao de junho de 2008 (115,4), período anterior à fase mais aguda da crise internacional. Na comparação com abril do ano passado, o ICI registrou alta de 38,2% esse mês, elevação menos intensa do que a taxa positiva de 49,0% registrada em março, no mesmo tipo de comparação, nos dados sem ajuste sazonal. O ICI é composto por dois indicadores. O primeiro é o ¿?ndice da Situação Atual (ISA), que teve aumento de 2,3% em abril após subir 3,4% em março, nos dados atualizados na série com ajuste sazonal. O segundo componente do ICI é o ¿?ndice de Expectativas (IE), que apresentou taxa negativa de 4,5%, queda mais intensa do que a apurada em março, quando caiu 2,2%. Na comparação com abril do ano passado, nos dados sem ajuste sazonal, houve aumentos de 42,5% e de 34,0%, respectivamente para o índice de Situação Atual e para o indicador de Expectativas, em abril deste ano. O levantamento para cálculo do índice foi entre os dias 5 e 27 deste mês, em uma amostra de 1.194 empresas informantes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.