Tamanho do texto

A segunda prévia de agosto da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) ficou em 0,34%, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No índice anterior, medido até o dia 7 deste mês, a fundação apurou alta de 0,44%.

Segundo a FGV, a leitura do indicador apurada até a última sexta-feira (dia 15) foi o menor resultado para o IPC-S desde a terceira semana de março deste ano, quando o indicador registrou variação de 0,23%.

A principal contribuição para a desaceleração da taxa do indicador, na passagem da primeira para a segunda prévia de agosto, partiu de elevações de preços menos intensas, ou até deflações, em três das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice. É o caso de Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,61% para 0,52%); Educação, Leitura e Recreação (de 0,21% para 0,09%); e Alimentação (de 0,4% para -0,06%). No caso desse último grupo, foram registradas quedas e desacelerações de preços em Hortaliças e Legumes (-2,8% para -4,99%), Carnes Bovinas (1,79% para 0,24%) e Arroz e Feijão (0,59% para -0,79%).

Os outros grupos apresentaram aceleração de preços, ou deflação mais fraca, no mesmo período. É o caso de Habitação (de 0,7% para 0,81%); Vestuário (de -0,33% para -0,23%); Transportes (de 0,21% para 0,23%); e Despesas Diversas (de 0,41% para 0,71%).