Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fenabrave: recuo nas vendas foi menor que o esperado

O presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Sérgio Reze, afirmou hoje que a queda de 13,81% nas vendas totais de veículos registrada em outubro, em relação a setembro, foi menor que a esperada pela entidade. O que eu posso dizer é que o barulho da explosão foi maior que o resultado da mesma, afirmou.

Agência Estado |

Segundo o executivo, o resultado de outubro, que chamou de "tropeço", deve-se mais ao aumento da seletividade dos bancos que concedem crédito ao financiamento de veículos do que a uma fuga dos consumidores. "O ritmo das visitas nas concessionárias continua grande, mas o crédito ficou mais restrito", explicou.

A expectativa do presidente da Fenabrave é de que as medidas anunciadas pelo governo para aumentar a liquidez do mercado já tenham efeito em novembro. Ele espera que o resultado de vendas neste mês não seja pior que o registrado em outubro. "A expectativa é de estabilidade, mas se vier uma queda menor que a de outubro, já considero que será um desempenho melhor", afirmou.

A percepção do executivo é de que "o pior já está passando". Reze destaca que tanto o Ministério de Fazenda como o Banco Central (BC) estão muito ativos em evitar uma redução do ritmo de crescimento da economia e, principalmente, do setor automotivo. "Estou relativamente tranqüilo depois da tensão de outubro", disse.

A previsão da entidade é de que as vendas totais do setor em 2008 totalizem 4.990.844 unidades, com crescimento de 19,64% sobre 2007. Os números incluem automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motos. Para o segmento de autos e comerciais leves a expectativa é de alta de 20%, com um total de 2,810 milhão de unidades vendidas.

O executivo disse que ainda é cedo para falar de expectativas para 2009, mas adianta que espera ao menos crescimento de um dígito. "Vamos divulgar as nossas projeções completas para o próximo ano em dezembro ou no máximo em janeiro."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG