Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os Estados Unidos estão dando andamento à recuperação econômica, mas a colaboração dos mercados financeiros nesse sentido ficou menor. A conclusão está no comunicado que acompanhou a decisão do Federal Reserve (Fed, banco central americano) de manter a taxa dos Fed Funds na faixa entre 0% e 0,25% ao ano.

SÃO PAULO - Os Estados Unidos estão dando andamento à recuperação econômica, mas a colaboração dos mercados financeiros nesse sentido ficou menor. A conclusão está no comunicado que acompanhou a decisão do Federal Reserve (Fed, banco central americano) de manter a taxa dos Fed Funds na faixa entre 0% e 0,25% ao ano. Os diretores da autoridade monetária identificaram sinais de melhora no mercado de trabalho e no gasto dos consumidores. Lembraram que o preço de commodities e de energia caiu nos meses recentes, o que ajuda a manter a inflação deprimida - o que dá espaço para sustentar juros baixos. Mas alertaram que "as condições financeiras se tornaram menos sustentadoras do crescimento econômico, refletindo largamente acontecimentos no exterior". O mercado interpretou o comentário como uma ponderação de que as dificuldades de países europeus na gestão dos déficits públicos poderia afetar o mercado financeiro americano, que vinha se recuperando da crise de 2008. A cautela quanto aos desdobramentos no setor financeiro e o reforço na tendência de baixa da inflação levaram a maioria dos diretores a optar por deixar o juro básico americano perto de zero e repetir que as taxas ficarão assim "por um período extenso". O comunicado que acompanhou a decisão do comitê repete que os gastos do consumidor, embora em crescimento, ainda são limitados pelo alto desemprego, o aperto na oferta de crédito, a renda deprimida e o menor valor dos imóveis. Além disso, cita o documento, o mercado imobiliário permanece fraco e os empréstimos bancários continuaram a recuar. Mais uma vez, o presidente da unidade regional do Fed em Kansas, Thomas Hoenig, votou contra a decisão, como tem feito desde janeiro. Para ele, expressar que os juros podem ficar baixos por um período extenso pode levar a desequilíbrio futuro nas contas da autoridade monetária, aumentar os riscos para a estabilidade financeira e limitar a flexibilidade do Comitê de iniciar um ciclo de alta nos juros. (Paula Cleto | Valor )

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.