SÃO PAULO - O Federal Reserve (Fed) anunciou nesta segunda-feira que começará a pagar juro sobre o depósito compulsório bancário, medida essa que dará ao banco central dos Estados Unidos maior escopo para usar os programas de empréstimos para lidar com as condições nos mercados de crédito e manter a taxa dos fed funds perto da meta estabelecida pelo Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês). Além disso, a autoridade monetária americana elevará o tamanho dos leilões por meio da Linha de Crédito para Leilão a Termo (TAF, na sigla em inglês), com o início hoje de um leilão de recursos com prazo de 84 dias. Esses leilões permitem que as instituições de depósito peguem emprestados recursos do Fed por um prazo determinado perante a mesma garantia que é aceita na janela de redesconto.

Os tamanhos dos leilões com 28 dias e 84 dias serão ampliados para US$ 150 bilhões cada. Esses aumentos levarão as quantias em circulação sob o programa regular do TAF para US$ 600 bilhões. Fora isso, os dois leilões que serão conduzidos em novembro também serão elevados em US$ 150 bilhões. Assim, US$ 900 bilhões de crédito por meio do TAF devem estar disponível até o fim do ano.

O Fed e o Departamento do Tesouro estão consultando participantes nos mercados financeiros a fim de oferecer apoio adicional.

"Juntas, essas ações devem encorajar o empréstimo a termo dentro de uma gama de mercados financeiros de forma a aliviar as pressões e promover que empresas e consumidores tenham acesso ao crédito. O Federal Reserve está pronto para tomar medidas adicionais se houver necessidade a fim de impulsionar as condições de liquidez nos mercados monetários", declarou.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.