Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fed socorre seguradora AIG com US$ 85 bilhões

SÃO PAULO - O Federal Reserve (Fed) anunciou um pacote de resgate da ordem de US$ 85 bilhões para a AIG, maior companhia de seguros dos Estados Unidos, para salvá-la de um eventual colapso. O Fed autorizou sua unidade de Nova York a emprestar à AIG os recursos.

Valor Online |

Em troca, o governo federal receberá uma participação de 79,9% na empresa.

"O Conselho do Federal Reserve, com total apoio do Departamento do Tesouro, autorizou o Federal Reserve Bank of New York a emprestar até US$ 85 bilhões para o American Internacional Group (AIG) sob a seção 13(3) do Ato do Federal Reserve. O empréstimo tem termos e condições elaboradas para proteger os interesses do governo dos Estados Unidos e dos contribuintes", destacou a autoridade monetária americana em breve comunicado.

O socorro segue o colapso do banco de investimentos americano Lehman Brothers no começo desta semana, que contribuiu para as fortes quedas nas Bolsas internacionais e despertou temores sobre a saúde do setor financeiro como um todo. Depois do Lehman, a AIG surgiu no centro da turbulência.

Nas atuais circunstâncias, avaliou o Fed, uma "quebra desordenada" da AIG poderia deixar os mercados financeiros ainda mais frágeis e ampliar mais os custos de empréstimos, além de diminuir a riqueza das famílias e debilitar materialmente o desempenho econômico.

O banco central dos Estados Unidos explicou que os recursos visam apoiar a AIG a atender suas obrigações e facilitar um processo pelo qual a seguradora venderá algumas de suas atividades de maneira ordenada, "com o menor impacto possível na economia como um todo". O governo terá poder de veto sobre a venda dos ativos e pagamento de dividendos aos acionistas.

Os contribuintes estarão protegidos, segundo o Fed, porque o empréstimo está garantido pelos ativos da AIG e das subsidiárias da empresa e deve ser pago com os recursos advindos da venda de ativos. A linha para a seguradora tem prazo de 24 meses.

O secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, que se recusou a ajudar o Lehman Brothers, deu apoio ao movimento do Fed para assistir a AIG e ressaltou que a iniciativa tem a intenção de proteger os contribuintes. "Estes são tempos desafiadores para os nossos mercados financeiros", comentou.

A Casa Branca elogiou o pacote, notando que o acordo foi feito "no interesse de promover a estabilidade nos mercados financeiros e limitar os danos à economia geral".

As informações são do próprio Fed e agências internacionais.

"(Juliana Cardoso | Valor Online)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG