O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) informou hoje que começará a pagar juros sobre os compulsórios dos bancos, uma medida que, segundo a autoridade monetária, lhe dará maior escopo para enfrentar as dificuldades nos mercados de crédito. Os depósitos compulsórios têm a finalidade de tirar dinheiro de circulação.

A decisão, segundo o Fed, também deverá ajudar a manter a taxa de Fed Funds mais perto da meta estabelecida por seu comitê de política monetária, de 2% ao ano. Os Fed Funds são os títulos que lastreiam os empréstimos interbancários de um dia no mercado interbancário e são usados pelo Fed para balizar a taxa de juro no curto prazo. Seus contratos futuros são um indicador para o juro futuro nos EUA.

O Fed acrescentou que "continua preparado para tomar medidas adicionais se necessário para melhorar as condições de liquidez nos mercados monetários".

Leilões

Adicionalmente, o Fed anunciou que irá elevar o montante de seus leilões de linha de crédito emergencial (TAF) de 28 e 84 dias em US$ 150 bilhões cada um, começando com o leilão da TAF de 84 dias de hoje. "Esses aumentos vão acabar elevando o total em circulação sob o programa TAF para US$ 600 bilhões", disse o Fed.

Já o Departamento do Tesouro dos EUA anunciou que vai fazer ajustes ao seu calendário de leilões. O Tesouro disse que está "analisando as opções concernentes à freqüência e à emissão de cupons nominais adicionais, incluindo a reintrodução do título (note) de três anos, a partir de novembro", disse a instituição em comunicado.

"Qualquer mudança no calendário de leilões será comunicada por meio da prática padrão como parte do próximo anúncio de refinanciamento trimestral na quarta-feira, 5 de novembro". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.