todo o possível para retomar o crescimento - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fed fará todo o possível para retomar o crescimento

O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, afirmou hoje que a instituição fará todo o possível dentro dos limites de sua autoridade para restaurar mercados estáveis e tirar os Estados Unidos da recessão. No discurso preparado para um almoço no Clube Nacional da Imprensa, em Washington, Bernanke falou sobre os programas de crédito do Fed para estimular o empréstimo.

Agência Estado |

Na semana passada, o Fed disse que aumentaria o tamanho do Programa de Crédito a Termo de Ativos Lastreados em Ativos (Talf, na sigla em inglês), em até US$ 1 trilhão. Sob o Talf, o banco central vai estender crédito contra uma ampla variedade de ativos, incluindo aqueles lastreados em cartões de crédito, crédito estudantil e financiamento de automóveis e empréstimos para pequenas empresas. O Departamento do Tesouro vai proporcionar um colchão contra qualquer perda inicial. Também na semana passada, o Fed disse que poderia expandir as garantias elegíveis para incluir ativos lastreados em hipotecas residenciais e comerciais.

"Se este programa funcionar conforme o planejado, deve levar a taxas de juro mais baixas e mais disponibilidade de crédito para consumidores, empresas e hipotecas", disse Bernanke.

Meta de inflação

Bernanke aproximou o banco central norte-americano da adoção de uma meta de inflação oficial, uma ideia que ele defende há muito tempo. A partir da ata da reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) realizada em 27 e 28 de janeiro, que será divulgada esta tarde, o Fed estenderá seu horizonte de previsão econômica de três para cinco ou seis anos.

A previsão de inflação de prazo mais longo "pode ser interpretada" como a taxa de inflação que o Fed considera consistente com seu duplo mandato de estabilidade de preço e emprego sustentável máximo, afirmou Bernanke no texto preparado para um discurso no Clube Nacional de Imprensa. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG