Tamanho do texto

Washington, 13 jul (EFE).- O Federal Reserve (Fed, banco central americano) e o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciaram hoje medidas para ajudar as firmas hipotecárias americanas Fannie Mae e Freddie Mac, ao assegurar que concederá fundos e créditos se for necessário.

As ações das duas gigantes do setor hipotecário americano desabaram nos últimos dias nas bolsas de Nova York, diante das cada vez mais insistentes dúvidas dos investidores sobre a saúde financeira de ambas.

O secretário do Tesouro, Henry Paulson, assegurou hoje que o Governo planeja estender sua atual linha de crédito às duas companhias, caso a situação mostre que seja necessário.

Uma ação desse tipo só pode ser realizada com a autorização do Congresso.

"Fannie Mae e Freddie Mac tem um papel central em nosso sistema de financiamento de imóveis e têm que continuar fazendo isso em sua atual forma", disse Paulson.

"Seu apoio ao mercado imobiliário é especialmente importante em um momento em que passamos por uma correção no setor", ressaltou o secretário do Tesouro.

Em comunicado, Paulson disse também que o Departamento do Tesouro poderia comprar ações das duas empresas em crise se for necessário.

O Fed, por sua parte, anunciou que concederia a Fannie Mae e Freddie Mac um empréstimo caso precisem de fundos adicionais para ajudá-las a superar os problemas financeiros que enfrentam.

Por isso, o banco do Federal Reserve de Nova York já conta com a autorização para proporcionar, em caso de emergência, capital adicional às duas firmas.

Caso as duas empresas aceitem o crédito, teria que ser aplicada uma taxa de juros de 2,25%, a mesma utilizada com bancos comerciais e grandes firmas de Wall Street.

O plano proposto pelo Fed prevê, além disso, que o banco central americano seja consultado no caso de qualquer possível novo marco regulador que pudesse impulsionar o Congresso e que afete Fannie Mae e Freddie Mac.

O Fed, o Departamento do Tesouro e outros organismos reguladores estiveram durante todo o fim de semana em estreito contato depois que o medo dos investidores fizesse com que as ações de ambas as companhias desabassem nos últimos dias em Wall Street.

Estes anúncios do Fed e do Tesouro representam a última tentativa do Governo de recuperar a confiança dos investidores nas empresas hipotecárias.

A saúde financeira das duas empresas é o centro das preocupações dos responsáveis econômicos dos EUA, pelo importante papel que têm no setor hipotecário do país. EFE cai/rr