O Federal Reserve (Fed) dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira que vai assumir até 100 bilhões de dólares da dívida dos organismos de refinanciamento hipotecário Fannie Mae e Freddie Mac, e até 500 bilhões de dólares de seus ativos vinculados a créditos hipotecários.

"Estas medidas serão adotadas para reduzir o custo e aumentar a disponibilidade de crédito para a compra de imóveis, o que deve sustentar o mercado imobiliário e melhorar as condições dos mercados financeiros de maneira geral", explicou o Fed.

O Federal Reserve afirma que as taxas pelas quais estas empresas estão se refinanciando e as dos empréstimos hipotecários garantidos por elas se afastaram recentemente de outras taxas de referência, colocando em risco sua viabilidade.

Isto afeta, além da Fannie Mae e do Freddie Mac, os doze bancos regionais de crédito inmobiliario (Home Loan Banks) e a Ginnie Mae (Government National Mortgage Association), que garante os ativos vinculados a créditos hipotecários por empréstimos estatais.

Os 17 bancos associados do Fed assumirão a dívida através de leilões, que vão começar já na próxima semana.

A compra de ativos respaldados por créditos hipotecários ("mortgage backed securities", MBS), por outro lado, será feita através de administradores de ativos "selecionados por um processo de livre concorrência, com a meta de iniciar estas compras antes do fim do ano", segundo o Fed.

Quebrados pela estagnação do mercado imobiliário e pela falta de liquidez, Fannie Mae e Freddie Mac mantiveram um ritmo de prejuízos colossais mesmo depois de terem sido assumidas pelo governo, no dia 7 de setembro.

As perdas do Fannie chegaram no terceiro trimestre a 28,9 bilhões de dólares, e as do Freddie, a 25,3 bilhões.

hh/ap/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.