WASHINGTON (Reuters) - A direção do Federal Reserve anunciou na terça-feira que o Federal Reserve de Nova York emprestará 85 bilhões de dólares à AIG em um plano destinado a salvar a seguradora de uma turbulenta falência que poderia afetar a economia global. O Fed disse que sob o empréstimo, que tem um prazo de dois anos, o governo dos EUA receberá uma participação de 79,9% na AIG e tem o direito de vetar o pagamento de dividendos a acionistas preferenciais comuns no negócio, apoiado pelo Departamento do Tesouro.

'O conselho determinou que, nas atuais circunstâncias, uma falência desordenada da AIG poderia aumentar os já significativos níveis de fragilidade do mercado financeiro e levar a um aumento substancial dos custos do crédito, uma redução da saúde imobiliária e uma performance econômica materialmente fraca', disse o Fed em um comunicado.

O Fed disse que o empréstimo, segurado por todos os ativos da AIG e de suas subsidiárias, é destinado a ajudar a gigante dos seguros a cumprir todas as suas obrigações.

O empréstimo facilitará um processo sob o qual a AIG venderá partes de seus negócios de maneira ordenada, com o menor impacto possível na economia.

O empréstimo deve ser pago com os recursos obtidos a partir da venda dos ativos da empresa.

O secretário do Tesouro, Henry Paulson, em um comunicado separado, disse que os reguladores financeiros dos EUA estavam engajados em um amplo esforço para tentar resgatar a estabilidade dos mercados financeiros.

'Nós estamos trabalhando junto com o Federal Reserve, o SEC e outros reguladores para aumentar a estabilidade e a ordem em nossos mercados financeiros e minimizar as feridas em nossa economia', afirmou Paulson, em um comunicado em que manifestou apoio à ação do Fed.

(Reportagem de David Lawder e Glen Somerville)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.