O Federal Reserve (Fed, banco central americano) anunciou hoje medidas que incluem a elevação para US$ 900 bilhões da quantia que oferece para os bancos em seus leilões de recursos a termo (Term Auction Facility, ou TAF) até o final do ano, segundo a agência Dow Jones. O volume dos leilões de 28 e 84 dias será elevado em US$ 150 bilhões cada um, começando com o leilão da TAF de 84 dias de hoje.

Esses aumentos vão elevar o total em circulação sob o programa TAF para US$ 600 bilhões. Além disso, os dois leilões extras que ocorrerão em novembro também serão elevados em US$ 150 bilhões cada um, fazendo com que, até o final do ano, cerca US$ 900 bilhões sob a linha TAF estejam em circulação.

Além da ampliação do volume dos leilões, o Fed anunciou que vai começar a pagar juros sobre os compulsórios dos bancos. A taxa de juros a ser paga será a média da meta para a taxa de Fed Funds estabelecida pelo Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) sobre cada período de manutenção das reservas, menos 0,1 ponto porcentual. "O pagamento de juros sobre o compulsório deve essencialmente eliminar o custo de oportunidade de mantê-lo, promovendo a eficiência no setor bancário", disse o Fed. A autoridade acrescentou que a fórmula para a taxa de juros sobre os compulsórios poderá ser ajustada dependendo das condições do mercado.

Segundo a autoridade monetária, esse novo programa anunciado hoje permitirá que o Fed aumente seu balanço, dando-lhe um espaço maior de ação para enfrentar a crise dos mercados e manter a taxa de juros no mercado interbancário próxima da meta estabelecida pelo Fomc. A autoridade monetária acrescentou que "está pronta para tomar medidas adicionais necessárias para estimular as condições de liquidez nos mercados monetários". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.