Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fecomercio-SP projeta alta de 5% no varejo até junho

O comércio varejista da Região Metropolitana de São Paulo deve ter encerrado o primeiro semestre de 2008 com alta de 5% no faturamento em relação ao mesmo período do ano passado, apurou a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). Na avaliação da instituição, o resultado foi influenciado por determinantes do consumo que permaneceram positivos no período: confiança do consumidor, emprego e renda em recuperação e fácil acesso ao crédito.

Agência Estado |

Dos nove segmentos que compõem a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV), apenas Lojas de Autopeças e Acessórios e Lojas de Departamento devem ter encerrado o semestre com quedas nas vendas reais, de -30% e -14%, respectivamente. Os demais setores prometem mostrar altas: Lojas de Vestuário, Tecidos e Calçados (25%), Eletrodomésticos/Eletroeletrônicos (15%), Materiais de Construção (13%), Concessionárias de Veículos (12%), Móveis/Decorações (11%), Supermercados (2%) e Farmácias/Perfumarias (2%).

O analista econômico da Fecomercio-SP Altamir Carvalho destaca, no entanto, que nos seis primeiros meses de 2008 tem-se verificado uma desaceleração no ritmo do crescimento das vendas do varejo. Na comparação com os mesmos períodos do ano passado, a alta no faturamento de abril foi de 4,6%; a de maio correspondeu a 3,2% e, para junho, a instituição projeta um crescimento de apenas 2%. Para Carvalho, esse desaquecimento de deve à apreensão do consumidor diante da pressão inflacionária. "A população responde muito rápido aos aumentos dos preços e se retrai", explica.

Para o fechamento de 2008, a instituição estima que o desempenho das vendas ainda mostre resultado positivo em relação ao ano passado, com crescimento entre 3% e 4%, mas pondera que a desaceleração poderá se perpetuar diante de um cenário econômico menos estável.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG