A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) avaliou que a Medida Provisória 443, publicada hoje pelo governo federal, é essencialmente preventiva, transitória e está em linha com as medidas tomadas em outros países. A afirmação foi feita pelo presidente da instituição, Fábio Barbosa, por meio de comunicado à imprensa e refere-se à MP que autorizou o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF) a constituírem subsidiárias e a adquirirem participação em instituições financeiras, além de ter autorizado também a criação da empresa Caixa - Banco de Investimentos S.

A.

No documento, Barbosa afirmou que o setor bancário brasileiro trabalha com grande concorrência no mercado e equilíbrio entre os diversos tipos de bancos por origem de capital. "A crise econômica mundial encontrou o Brasil com um sistema financeiro reconhecido internacionalmente pela solidez e agilidade em suas operações", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.