A Agência Federal de Investigações (FBI) dos Estados Unidos não tem agentes suficientes nem recursos para investigar crimes financeiros devido a cortes de pessoal e à ênfase dada ao terrorismo, informou neste domingo o New York Times.

Citando atuais e antigos funcionários do FBI, o diário ressaltou que desde os ataques de 11 de setembro de 2001 a agência enviou para tarefas ligadas a terrorismo e inteligência mais de 1.800 agentes, ou quase um terço de todos os agentes que atuavam em programas contra crimes financeiros.

"Sem dúvida sentimos os efeitos da destinação de recursos de investigações para o setor de crimes contra a segurança nacional", declarou um ex-diretor adjunto do FBI, John Miller. "Em crimes do colarinho branco, ao investigar menos casos, temos nos concentrado em áreas onde podíamos ter um impacto melhor".

A matéria do New York Times é veiculada após uma série de ações do governo dos Estados Unidos para estabilizar bancos em desgraça após a crise dos empréstimos hipotecários e outros problemas financeiros.

Segundo o jornal nova-iorquino, o FBI está sendo pressionado para investigar alguns dos protagonistas do colapso financeiro, incluindo os gigantes hipotecários Fannie Mae e Freddie Mac.

mk/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.