O governo optou por dar continuidade ao Programa de Sustentação do Investimento (PSI) porque pretende estimular a manutenção do ciclo de investimentos no País, afirmou há pouco o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira. A vigência do PSI será prorrogada por seis meses a partir de 30 de junho, indo até o fim deste ano.

O governo optou por dar continuidade ao Programa de Sustentação do Investimento (PSI) porque pretende estimular a manutenção do ciclo de investimentos no País, afirmou há pouco o secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira. A vigência do PSI será prorrogada por seis meses a partir de 30 de junho, indo até o fim deste ano. "O próximo ano será importante para o ciclo de investimentos", afirmou o secretário-adjunto. O raciocínio, de acordo com Oliveira, é aumentar a capacidade da produção para atender o aumento da demanda nos próximos anos. "Vamos manter linhas equalizadas, porque, em última instância, são os bens de capital que geram investimento", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.