A Fazenda Piratininga, do empresário Wagner Canhedo, ex-proprietário da Vasp, será leiloada pela Justiça do Trabalho de São Paulo, no Fórum da Barra Funda, na capital paulista, no próximo dia 10 de março, para quitar parte do passivo trabalhista da falida empresa aérea. O imóvel de 130 mil hectares, onde são criadas 75 mil cabeças de gado nelore, está localizada em São Miguel do Araguaia, em Goiás, e tem 3,6 mil km de estradas pavimentadas, 304 pontes, dois viadutos, além de duas casas de alto padrão.

Desde setembro do ano passado, a propriedade estava em posse dos ex-funcionários da Vasp que acionam a empresa. Diante da impossibilidade de administrá-la, eles decidiram pela venda, com auxílio da Justiça Trabalhista.

A fazenda foi avaliada em R$ 421 milhões e o lance mínimo para arrematá-la será de R$ 370 milhões. Segundo o advogado Francisco Gonçalves Martins, representante do Sindicato dos Aeroviários no Estado de São Paulo, a expectativa é de que seja arrecadado um valor equivalente a um terço da dívida trabalhista, calculada em R$ 1,5 bilhão, em ações movidas por um total de 8 mil ex-funcionários.

De acordo com o leiloeiro Antonio Carlos Seoanes, da Serrano Leilões Judiciais, que participará do leilão, há pelo menos quatro grupos interessados na compra. Eles já teriam até visitado a fazenda para avaliá-la. Além do passivo trabalhista, a Vasp deve mais de R$ 2 bilhões para órgãos públicos como Infraero, Receita Federal, INSS, Banco do Brasil, Petrobrás e BR Distribuidora. Afundada em dívidas desde a década de 1990, a Vasp deixou de operar em janeiro de 2005 e teve sua falência decretada pela Justiça em setembro de 2008.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.