Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fatia liberada do compulsório é metade do encaixe adicional de agosto

BRASÍLIA - O Banco Central (BC) vai devolver aos bancos na próxima semana metade do compulsório adicional recolhido em agosto. Dados divulgados hoje mostram que os depósitos compulsórios dos bancos subiram para R$ 259,4 bilhões no mês passado, ante R$ 249,4 bilhões em julho, ou seja, aumentaram R$ 10 bilhões.

Valor Online |

A devolução prevista diante das medidas anunciadas pelo BC nesta semana será em R$ 5,2 bilhões.

O estoque de encaixes obrigatórios dos bancos cresceu 27,3% sobre janeiro deste ano, quando estava em R$ 203,7 bilhões. A alta, explicou o BC, tem como principal motivo o aumento na emissão de certificados de depósitos bancários (CDBs).

Os CDBs têm sido a fonte básica de captação no mercado interno pelos bancos, para os empréstimos a pessoas físicas e jurídicas. Só em agosto, a captação líquida com esse títulos privados foi de R$ 35,4 bilhões.

Em função da crise externa e para não faltar recursos nos bancos, nessa semana a autoridade monetária anunciou flexibilização nas regras para os recursos que as instituições devem recolher com compulsoriamente ao BC.

Uma delas aumenta de R$ 100 milhões para R$ 300 milhões, o abatimento que as instituições financeiras podem fazer sobre o compulsório adicional (remunerado) sobre os depósitos à vista, a prazo e de poupança. E é essa medida que implicará na devolução de R$ 5,2 bilhões ao mercado financeiro.

A segunda decisão deu prazo mais elástico para que os bancos atinjam uma alíquota maior (20%) do compulsório sobre captações dos bancos junto a entidades de leasing. A data passou de novembro deste ano para janeiro do ano que vem, deixando uma folga de R$ 8 bilhões no caixa dos bancos nesse período.

Segundo os dados do BC, o compulsório instituído em janeiro sobre esses depósitos interfinanceiros registrava em agosto a posição de R$ 14,28 bilhões, com redução sobre os R$ 14,87 bilhões de julho.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG