SÃO PAULO - O número de falências decretadas no país diminuiu 34% entre janeiro e novembro deste ano, na comparação com o mesmo intervalo de 2007. De acordo com levantamento da Serasa Experian, foram contabilizadas 924 ocorrências desse tipo de até novembro deste ano, ante 1.

399 falências apuradas em igual período do ano passado. Também caíram, em 17,8%, as falências requeridas no período (2.070 pedidos).

Segundo técnicos da Serasa Experian, esse cenário ainda é influenciado pelo crescimento econômico deste ano, com nível de atividade acelerado, alta de emprego e renda e boas condições de crédito. Com dinheiro em caixa, é normal que os pedidos e decretos de falências recuem.

Em novembro, o número de falências requeridas (189) foi 17,4% maior do que o apurado em novembro do ano passado. Ao mesmo tempo, no entanto, as falências decretadas caíram 22,7%, com 85 registros.

Já a solicitação de recuperações judiciais teve aumento de 6,8% no acumulado deste ano, com 266 ocorrências. Assim como as solicitações, as recuperações judiciais concedidas também cresceram. De janeiro a novembro houve alta de 163,6%, com 29 casos registrados, contra 11 concessões verificadas no acumulado do período de 2007.

Também aumentaram em 8,3% no período em análise as falências judiciais deferidas. Foram deferidos 196 casos do tipo neste ano.

As recuperações extrajudiciais requeridas subiram 33,3% de janeiro a novembro e somaram 12 requerimentos.

Considerando apenas o mês de novembro, foram deferidas 24 recuperações judiciais, bem acima dos 9 casos reportados um ano antes. A Serasa notou ainda que no período foram concedidas quatro recuperações judiciais, enquanto no ano passado não houve nenhuma concessão. As recuperações judiciais requeridas aumentaram em 143,8% na comparação mensal, com 39 casos.

Nesse caso, a Serasa destaca que a alta é resultado do aumento das taxas de juros e do agravamento da crise, com impacto na liquidez global.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.