SÃO PAULO - A indústria automotiva dos Estados Unidos não está indo na direção correta suficientemente rápida para ser bem sucedida, destacou o presidente americano Barack Obama. Ele deu mais tempo para a General Motors (GM) e Chrysler submeterem planos viáveis de reestruturação e notou que a quebra é uma opção para ambas empresas.

A administração americana rejeitou os planos de reorganização das montadoras porque, conforme o presidente dos EUA, "após análise cuidadosa, foi determinado que nenhuma delas avançou no sentido de garantir novos investimentos como o solicitado".

"Assim, estou anunciando que minha administração oferecerá à GM e Chrysler um determinado prazo para que trabalhem com credores, sindicatos e acionistas a fim de reestruturar a empresa de forma a justificar um investimento adicional, período em que devem produzir planos que deem ao povo americano a confiança nas perspectivas de longo prazo dessas companhias", observou Obama.

A GM terá 60 dias para reorganizar-se enquanto a Chrysler terá 30 dias para discutir a possibilidade de uma fusão com a italiana Fiat. Se não puderem mostrar progresso, a falência da Chrysler passa a ser uma opção e o governo pode forçar a quebra da GM.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.