A aprovação do pacote de ajuda ao sistema financeiro dos Estados Unidos foi insuficiente para restaurar a tranqüilidade do investidor. Agora, as atenções estão voltadas para a economia real, que certamente sentirá os efeitos da crise.

A maioria dos especialistas avalia que os EUA enfrentarão uma recessão. Por isso, as informações econômicas do país ganham ainda mais importância do ponto de vista de quem quer aplicar seus recursos.

Nesta semana, há dois destaques: um discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Ben Bernanke, e a divulgação da ata da última reunião da instituição, amanhã.

Bernanke vai falar justamente das perspectivas para a economia e os mercados financeiros. A ata do Fed mostrará por que o Comitê de Mercado Aberto da instituição (Fomc, na sigla em inglês) decidiu manter a taxa de juros básica em 2% ao ano em sua última reunião, há duas semanas.

Alguns analistas têm defendido que o Fed reduza ainda mais o juro como forma de estimular a economia e, assim, reduzir o stress no mercado financeiro, notadamente nas bolsas. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.