Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ex-presidente do Irã reconhece que crise prejudica o país

Teerã, 24 out (EFE)- O aiatolá do sermão de sexta-feira e ex-presidente iraniano, Ali Akbar Hashemi Rafsanjani, reconheceu hoje em Teerã que a crise econômica não favorece o Irã, segundo a agência semi-oficial iraniana Fars.

EFE |

"Na minha opinião, e na opinião de muitos outros analistas, as condições atuais (da economia no mundo) não estão a nosso favor" e, por isso, "não devemos estar contentes com esta crise", disse Rafsanjani durante o sermão, considerado a voz oficial do regime iraniano.

Rafsanjani explicou que a crise financeira é um tsunami que afetou o mundo e que o Irã não pode solucioná-la.

"A primeira onda deste tsunami que chegou a nosso país é a redução de preço do petróleo de US$ 147 para US$ 64 o barril", disse.

Rafsanjani também se referiu "às pressões dos Estados Unidos sobre o Governo iraquiano para impor o acordo de segurança", que Washington e Bagdá negociam para regular a presença de tropas estrangeiras no país árabe e disse que os americanos deveriam tirar suas tropas do Iraque nos próximos dois meses.

"Por experiência, digo que isto é um lamaçal para os americanos, no qual se afundarão cada vez mais se continuarem assim", declarou.

EFE msh/ab/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG