Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ex-prefeito de Belo Horizonte morre aos 76 anos

BELO HORIZONTE - O ex-prefeito de Belo Horizonte Célio de Castro (PT) faleceu na manhã de ontem, aos 76 anos, no hospital Mater Dei, na capital mineira, onde foi internado na última sexta-feira. Com problemas de saúde desde 2001, ao ser acometido por um Acidente Vascular Cerebral (AVC), ele foi hospitalizado em decorrência de uma arritmia cardíaca, vindo a morrer por falência múltipla dos órgãos, às 10h35, segundo Rodrigo de Castro, filho do ex-prefeito.

Valor Online |

Em viagem aos Estados Unidos, o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), decretou luto oficial de três dias. O Brasil perde um homem que dedicou toda a sua vida às causas públicas e à defesa dos direitos das pessoas, especialmente das mais humildes , afirmou Pimentel, em nota divulgada ontem. Lamento profundamente a perda deste amigo e companheiro de caminhada, a quem serei eternamente grato , acrescentou o prefeito.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ter recebido com tristeza a morte de Castro. Segundo o presidente, em nota divulgada pelo Palácio do Planalto, o ex-prefeito deixa como legado a cultura do entendimento, da aliança de pessoas em torno de uma causa maior . Em Belo Horizonte, é esperada a presença de Lula no velório.

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), também lamentou o falecimento de Castro, com quem atuou na Câmara dos Deputados, durante a Assembléia Nacional Constituinte. Doutor Célio sempre destacou-se pelo profundo humanismo que marcou sua trajetória, seja como médico ou como homem público , disse, em comunicado divulgado ontem.

Embora afastado da militância partidária há pelo menos sete anos, Célio de Castro mantinha-se como uma referência de destaque na política local. Nas eleições deste ano, vinha sendo cortejado pelos principais candidatos e partidos em disputa pelo comando da prefeitura. No lançamento oficial da candidatura do empresário Márcio Lacerda (PSB), candidato de Pimentel e Aécio, parte da solenidade foi reservada para a leitura de uma carta atribuída ao ex-prefeito, na qual ele apóia a chapa encabeçada pelo socialista. Vamos colocá-la no nosso site, que será ativado nos próximos dias, para homenagear o Célio , afirmou Lacerda. A agenda de campanha, segundo o candidato, será suspensa em cumprimento do luto oficial. O mais emblemático do Célio de Castro foi o modelo que introduziu na gestão da Prefeitura, mais participativo e com conteúdo popular, demonstrando a sua permanente preocupação com a periferia e os mais despossuídos , disse Lacerda.

A candidata do PC do B, a deputada federal Jô Moraes, ressaltou seu modo discreto de fazer política. O legado que ele nos deixa é que é preciso ter projeto e também transparência, porque política não é feita num palco iluminado por holofotes, mas é feita com simplicidade , disse a parlamentar.

Para o candidato do PMDB, deputado federal Leonardo Quintão (PMDB), uma de suas características marcantes era a forma respeitosa com que tratava os vereadores , afirmou Quintão, que estava na Câmara quando Célio foi prefeito. Segundo ele, Rodrigo de Castro lançou-se à Câmara Municipal pelo PMDB neste ano a pedido do pai.

O prefeito será enterrado, hoje, às 12h, no cemitério Parque da Colina. Natural de Carmópolis de Minas, o médico Célio de Castro foi deputado federal por dois mandatos (1986 a 1994), primeiro pelo PMDB e depois pelo PSB. Em 1992, foi eleito, ao lado do atual ministro do Desenvolvimento e Combate à Fome, Patrus Ananias (PT), vice-prefeito de Belo Horizonte. Em 1997, foi eleito prefeito, sendo reconduzido ao cargo em 2001, quando se filiou ao PT.

(Danilo Jorge | Valor Econômico)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG