Tamanho do texto

As exportações brasileiras de celulose voltaram a crescer em fevereiro, após queda registrada em janeiro. De acordo com dados preliminares divulgados nesta quinta-feira pela Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa), as vendas externas do insumo utilizado na produção de papéis cresceram 15,4% em fevereiro sobre o mesmo mês do ano passado, para 653 mil toneladas.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561835674&_c_=MiGComponente_C

O resultado representa uma expansão de 5,5% sobre o total vendido em janeiro.

O setor encerrou o primeiro bimestre com leve retração de 0,4% nas vendas externas em volume, para 1,272 milhão de toneladas. A receita com exportações no período, por sua vez, cresceu 19,6%, para US$ 659 milhões (preço FOB), o que confirma a forte recuperação dos preços no mercado internacional desde meados do ano passado.

As vendas para a Europa, que apresentaram forte desaceleração em 2009, estão se recuperando. Segundo a Bracelpa, a receita com os negócios no continente foi de US$ 308 milhões no bimestre, alta de 20,8% sobre o mesmo período do ano passado.

As vendas para a China cresceram 15,3% em igual comparação, para US$ 158 milhões. Na América do Norte, as vendas somaram US$ 125 milhões, queda de 7,4% na comparação entre bimestres.

No mercado doméstico, o setor constata expansão da demanda. O volume de celulose negociado em fevereiro somou 120 mil toneladas, alta de 26,3% sobre fevereiro de 2009. No acumulado do primeiro bimestre, o indicador cresceu 33,9% sobre o mesmo intervalo do ano passado, para 249 mil toneladas.

Para atender ao aumento das demandas interna e externa, as fabricantes brasileiras ampliaram em 11,9% a produção doméstica de celulose no bimestre, para 2,331 milhões de toneladas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.