A indústria brasileira encerrou o primeiro trimestre de 2010 com exportação total de 2,157 milhões de toneladas de celulose, segundo dados preliminares da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). O resultado representa uma expansão de 19,1% em relação a igual intervalo do ano passado.

A indústria brasileira encerrou o primeiro trimestre de 2010 com exportação total de 2,157 milhões de toneladas de celulose, segundo dados preliminares da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). O resultado representa uma expansão de 19,1% em relação a igual intervalo do ano passado. Em março, as vendas externas somaram 885 mil toneladas, alta de 65,7% em relação ao mesmo mês de 2009 e de 35,5% ante fevereiro deste ano.

A receita das companhias com as vendas externas totalizou US$ 1,125 bilhão (preço FOB) no trimestre, expansão de 48,8% ante os três primeiros meses de 2009. A elevação da receita acima do porcentual de crescimento no volume exportado reflete os consecutivos aumentos aplicados no preço do insumo desde meados do ano passado.

As vendas domésticas de celulose no trimestre somaram 382 mil toneladas, alta de 31,7% em relação ao mesmo intervalo do ano passado. Em março, as vendas totalizaram 131 mil toneladas, um acréscimo de 26% em relação a março de 2009 e de 7,4% ante fevereiro de 2010.

Para atender ao aumento da demanda externa e interna, a indústria brasileira elevou a produção de celulose em 13,1% no trimestre, para 3,505 milhões de toneladas. O aumento é explicado principalmente pelo início da produção na fábrica da Fibria, em Três Lagoas (MS), no início do ano passado.

Venda de papéis

Os indicadores de venda de papéis voltaram a apresentar crescimento expressivo em março. Segundo dados preliminares da Bracelpa, a comercialização de papéis no País totalizou 428 mil toneladas em março, expansão de 10,6% em relação a março do ano passado e de 9,2% ante fevereiro de 2010. No acumulado do primeiro trimestre, a alta nas vendas domésticas foi de 9,7%, para 1,221 milhão de toneladas.

As exportações apresentaram crescimento ainda mais significativo, com vendas de 220 mil toneladas em março, alta de 26,4% ante o mesmo mês de 2009. Na comparação com fevereiro, a elevação do indicador foi de 35,8%. Com isso, o resultado do primeiro trimestre apresentou expansão de 24,7% ante os três primeiros meses do ano passado, para 560 mil toneladas.

A receita das companhias brasileiras com as exportações teve aumento de 26,9% no trimestre, para US$ 495 milhões (preço FOB). As importações, por sua vez, cresceram 32,9% no mesmo período, para US$ 327 milhões. A elevação foi ocasionada pela expansão de 55,5% nas importações de papéis no primeiro trimestre, para 342 mil toneladas.

O consumo aparente brasileiro, indicador que considera as vendas domésticas e as importações, teve alta de 10,4% no trimestre, para 2,212 milhões de toneladas. Apenas em março, a demanda por papéis totalizou 741 mil toneladas, expansão de 10,8% em relação a março de 2009 e de 4,8% ante fevereiro de 2010.

A produção brasileira de papéis no trimestre totalizou 2,430 milhões de toneladas, expansão de 8,9% na comparação com os três primeiros meses do ano passado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.