Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Exportação de carne bovina cresceu 52,78% em julho, divulga Abiec

São Paulo, 13 - As exportações de carne bovina brasileira somaram US$ 513,69 milhões no mês de julho, crescimento de 52,78% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os embarques também cresceram em volume, passando de 122,8 mil para 124,1 mil toneladas no mês passado, alta de 1,04%.

Agência Estado |

Os dados foram divulgados hoje pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec).

No acumulado de janeiro a julho, a receita cambial com as exportações de carne bovina totalizou US$ 3,01 bilhões, resultado que supera em 18,2% o desempenho dos sete primeiros meses do ano passado, quando os embarques somaram US$ 2,55 bilhões. Em volume, no entanto, as vendas externas brasileiras acumulam uma queda de 16,6% no período e somam 826,5 mil toneladas. Entre janeiro e julho do ano passado, os embarques de carne bovina haviam somado 991,3 mil toneladas.

De acordo com o diretor executivo da Abiec, Luiz Carlos de Oliveira, os números de janeiro a julho ainda são reflexo da pouca oferta de animais para o abate. Além disso, os preços no mercado internacional também contribuíram para uma forte retração no volume exportado. Entre janeiro e julho deste ano, o preço médio da carne bovina brasileira no mercado internacional foi de US$ 3.651 por tonelada, valor 41,7% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Em julho, a tonelada da carne bovina exportada teve um preço médio de US$ 4.137, 51,2% a mais do que em julho de 2007.

As expectativas da indústria são de que em 2008 as exportações brasileiras somem US$ 5 bilhões. O otimismo em relação ao desempenho deste ano se deve à habilitação de mais fazendas para exportar para União Européia e também à possibilidade de o Chile voltar a importar do Brasil. Segundo Oliveira, já está programada uma visita de técnicos chilenos ao Brasil. Com relação aos Estados Unidos, o diretor executivo da Abiec acredita que em setembro as exportações para os norte-americanos estarão normalizadas.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG