A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, criticou nesta quarta-feira a atitude da oposição de levantar suspeitas sobre a saúde financeira da Petrobras. Segundo a ministra, a acusação de que a empresa sofre com fluxo de caixa é ¿estarrecedora¿.

É estarrecedor pelo seguinte: a Petrobras é a maior empresa brasileira, inequivocamente. A Petrobras é uma empresa que tem uns dos maiores caixas do Brasil. Ela fornece petróleo e gás no Brasil e hoje é um exemplo internacionalmente de governança. (...) Expor a Petrobras é atirar no próprio pé, disse a ministra, em audiência pública na Câmara dos Deputados.

De repente há um choque externo no que se refere a crédito. Não salvou nem a Petrobras, que tinha um rating [capacidade de um país ou uma empresa saldar seus compromissos financeiros] soberano maior que o do Brasil. A Petrobras, então, não tem acesso a crédito e recorre ao crédito interno. Isto num momento de nítida restrição. O governo sabe, a imprensa sabe, o congresso sabe, a sociedade brasileira sabe e ainda assim há uma surpresa imensa pela Petrobras recorrer por capital de giro, ironizou a ministra.

Ainda de acordo com Dilma, é normal que a empresa tenha recorrido a melhores condições de crédito dentro do mercado nacional, uma vez que os bancos internacionais estão quebrando devido à crise. Procurar a melhor rating de crédito é normal. Ela [a Petrobras] dá garantias, ela é solvente, em 180 dias ela paga, qual é o problema?.

Leia também

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.