Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

General Eletric reduz previsão de lucros

A General Electric reduziu ontem sua previsão de lucro para o terceiro trimestre e para todo o ano, e paralisou seus planos de recompra de ações devido à turbulência dos mercados. O grupo, visto como um termômetro da economia americana, informou que irá lucrar entre US$ 0,43 e US$ 0,48 por ação no terceiro trimestre, ante uma perspectiva anterior de US$ 0,50 a US$ 0,54.

Agência Estado |

022 pontos. O Standard & Poor´s 500 encerrou aos 1.209 pontos, com 1,97% de ganho. O eletrônico Nasdaq avançou 1,43%, para 2.186 pontos.

Quando o presidente do comitê de finanças do Senado, Christopher Dodd, afirmou que democratas e republicanos já chegaram a um acordo em relação aos principais pontos do plano de resgate, o mercado reagiu como se o plano pudesse ser aprovado ontem mesmo e os índices chegaram a subir mais de 2%.

Os ganhos do dia em Wall Street também foram impulsionados pela alta de 6,16% das ações da General Electric (GE), que cortou as previsões de ganhos para o ano e interrompeu o programa de recompra de ações.

Os papéis do setor financeiro também tiveram valorização. As ações do Lehman Brothers subiram 45,33% (US$ 0,33) e as da Fannie Mae ganharam 11,49% (US$ 1,94). Já os papéis da Washington Mutual declinaram 25,22% (US$ 1,69) após notícias de que a financeira estaria mantendo conversas com vários fundos de private equity sobre possível aquisição.

Os mercados europeus, embalados pelo bom-humor em Wall Street, também fecharam a quinta-feira com forte alta, ficando no positivo pela primeira vez em quatro sessões. O índice FTSEurofirst 300 das principais ações européias marcou no fechamento alta de 2,2%, a 1.126 pontos. O índice registra queda de 25% em 2008.

As ações de bancos estavam entre aquelas que mais se valorizaram, com o Credit Agricole subindo 6,5% e o Royal Bank of Scotland registrando alta de 7%. As ações do UBS subiram 5,1%, também influenciadas por especulações de que o HSBC pode lançar uma oferta pelo credor suíço. UBS e HSBC se recusaram a comentar.

No mercado asiático, que fechou ainda sem as notícias da tarde de ontem nos EUA, os pregões fecharam a quinta-feira em baixa. Os negócios foram pressionados justamente por dúvidas quanto ao plano de resgate. " O resgate oferece alguma folga para o setor financeiro, mas faz pouco para mudar a perspectiva econômica, a qual continua a se deteriorar " , disse Dwyfor Evans, estrategista de moeda do State Street Global Markets em Hong Kong.

Na Austrália, o banco central injetou novamente capital extra no mercado aberto local. O Banco do Japão tornou disponível aproximadamente US$ 30 bilhões na primeira operação de fornecimento de dólar já feita no país, e o banco central da China deixou as taxas de suas operações de compulsório cair novamente.

(Valor Econômico, com agências internacionais)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG