Nova York, 22 set (EFE) - O ex-executivo-chefe da seguradora americana American International Group (AIG), Robert Willumstad, renunciou a uma indenização por demissão de US$ 22 milhões, informou hoje o jornal The Wall Street Journal, que cita fontes anônimas a par da situação.

Willumstad foi substituído no cargo na semana passada por Edward Liddy após a prática nacionalização da seguradora e a concessão de um empréstimo de US$ 85 bilhões por parte do Federal Reserve (Fed, banco central americano) para evitar seu colapso.

Na semana passada, o Conselho de Administração da AIG considerou que Willumstad tinha direito a uma indenização por demissão.

No entanto, neste fim de semana o ex-diretor escreveu um e-mail a seu sucessor informando-o de que renunciava a este dinheiro, porque não tinha sido capaz de "executar o plano de reestruturação" que pretendia implementar quando chegou ao cargo, em junho.

"Prefiro não receber indenização enquanto os acionistas e os empregados perderam um valor considerável de suas ações da AIG", disse Willumstad em seu e-mail a Liddy, segundo o jornal.

O periódico acrescentou que os acionistas majoritários da AIG planejavam se reunir hoje para buscar alternativas ao resgate do Fed, pagar rapidamente o empréstimo e evitar que o Governo americano fique com 80% das ações da empresa. EFE bj/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.