SÃO PAULO - O comandante do exército da Tailândia, o general Anupong Paochinda pediu, nessa quarta-feira, a renúncia do primeiro-ministro tailandês, Somchai Wongsawat. O exército evoca a dissolução do Parlamento e a convocação de novas eleições, em meio às manifestações do grupo oposicionista Aliança do Povo pela Democracia (APD), no aeroporto internacional de Bangcoc. Não é um golpe de Estado.

É uma solução para resolver um problema que afundou o país em uma grave crise", afirmou Anupong.

Por causa dos protestos, o governo está paralisado e o país se encontra praticamente incomunicável pela via aérea.

O porta-voz do executivo, Nattawut Saikuar, no entanto, reafirma que o primeiro-ministro não vai renunciar, dizendo que "as eleições ocorreram por vias democráticas".

A Tailândia enfrenta uma grave crise desde que Somchai Wongsawat foi eleito. A oposição o acusa de seguir os mesmos princípios do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, que sofreu um golpe em 2006. Na época, o exército tailandês comunicou o controle da capital o país, sem resistência.

(Vanessa Dezem | Valor Online com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.