Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Executivos prevêem piora da atividade manufatureira nos EUA

Nova York, 9 dez (EFE) - Executivos de compras e fornecedores prevêem que a deterioração da atividade manufatureira nos Estados Unidos continuará em 2009, mas esperam uma leve melhoria no setor dos serviços, segundo um relatório do Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, em inglês) divulgado hoje.

EFE |

A pesquisa realizada pela entidade reflete um tom em geral pessimista quanto às perspectivas do setor manufatureiro que têm os gerentes, principalmente para a primeira metade do próximo ano, com receitas menores, investimentos de capital e emprego, entre outros aspectos.

Norbert Ore, analista do ISM, destacou na divulgação dos resultados desta pesquisa bienal que os executivos se mostram, no entanto, um pouco mais otimistas em relação à segunda metade de 2009.

Cerca de 65% de indagados vinculados ao setor manufatureiro prevê que a receita de suas empresas diminuirão 1,1% em 2009 em relação a este ano, comparado com a queda de 2,2% calculada entre 2007 e 2008.

Os executivos afirmaram que suas empresas estão operando a 75,2% de sua capacidade habitual, comparado com 78,6% registrado em abril, e prevêem que os investimentos de capital cairão 6,7% em 2009, frente ao aumento de 5,9% deste ano.

Quanto ao emprego no setor manufatureiro, os gerentes de compras e provedores esperam que diminua 2,7% no próximo ano e que os custos trabalhistas e por compensações que recebem os trabalhadores aumentem uma média de 1,9%.

Também prevêem um aumento das exportações e uma redução das importações, assim como que o dólar se fortaleça em seu câmbio com as divisas dos países com que as empresas têm maiores relações comerciais.

Os executivos crêem que os preços pagos por matérias-primas e serviços descerão 2,3% nos primeiros quatro meses do próximo ano e que cairão outro 0,3% durante o resto de 2009.

Já no caso do setor dos serviços, 36% dos indagados afirmam que a receita de suas empresas aumentará 0,7% em 2009 frente a este ano, no qual espera-se uma queda de 2,6%.

Além disso, afirmam que suas companhias estão operando a 83,1% de capacidade, abaixo dos 85,9% registrados em abril.

Os executivos de empresas de serviços mostram um otimismo cauteloso ao prever que a atividade crescerá de forma contínua na primeira metade de 2009 em relação ao segundo semestre de 2008.

"Prevêem que sua capacidade de gerar produtos e oferecer serviços aumentará 0,6% em 2009 e que as despesas de capital descerão 8,4% em relação aos níveis de 2008", destacou Ore.

Quanto ao emprego no setor, calculam que descerá 1,3% em 2009 e que os preços pagos por materiais e serviços aumentem 2,3%, enquanto os custos trabalhistas subirão 1,5%. EFE vm/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG