Tamanho do texto

TÓQUIO (Reuters) - Importantes executivos dos principais bancos dos Estados Unidos, Japão e Europa se reunirão em Londres neste mês para discutir regulamentos e outros assuntos fundamentais sobre o futuro do sistema financeiro, afirmaram duas fontes da indústria. O governo britânico sediará o encontro em 24 de março, após uma reunião entre os ministros das Finanças do G20, em Londres nesta semana, e antes da cúpula de líderes do grupo em 2 de abril, disseram as fontes que pediram para não serem identificadas.

A cúpula do G20 pretende colocar a economia global a caminho da recuperação e definir melhores regulamentos para ajustar o sistema financeiro abatido pela crise de crédito.

O jornal Nikkei, do Japão, divulgou o encontro de banqueiros durante o final de semana, dizendo que convites foram enviados às principais instituições, incluindo o grupo japonês Mitsubishi UFJ Financial, JPMorgan Chase e HSBC.

Mitsubishi UFJ, maior banco do Japão, está avaliando agora quem irá para a reunião, de acordo com as fontes, que acrescentaram que não está claro se o presidente do grupo, Nobuo Kuroyanagi, participará.

O encontro deve discutir diretrizes para adequação de capital e outras questões regulatórias, completaram as fontes.

Representantes do Mitsubishi UFJ, JP Morgan e HSBC se recusaram a comentar o assunto.

A cúpula em Londres sucede a última reunião do G20 sobre a crise, realizada em novembro em Washington, e tem o objetivo de determinar ações coordenadas para reativar a economia global, regular o setor financeiro e princípios para reformar instituições financeiras internacionais.

Líderes europeus pediram por uma supervisão bancária global mais rígida, enquanto o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, recomendou uma ampla inspeção dos regulamentos de Wall Street.

As sugestões da Comissão Européia variam de regras de capital bancário mais rígidas à supervisão organizada, mais transparência nos mercados derivativos e propostas para penalizar bancos, cujas políticas de remuneração encorajam riscos excessivos.

(Por Taro Fuse)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.