Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ex-diretor-gerente do FMI aposta em economia de mercado para enfrentar crise

Valência (Espanha), 15 nov (EFE).- O ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Rodrigo de Rato apostou hoje na economia de mercado para enfrentar a crise financeira internacional, contra o risco que representaria a adoção de medidas protecionistas.

EFE |

Rato fez estas declarações durante seu discurso na 54ª Assembléia Parlamentar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), realizada em Valência.

O ex-diretor do FMI se referiu à atual crise financeira, sobre a qual os países-membros do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países mais ricos e os principais emergentes) debatem hoje em Washington.

Ao se referir ao protecionismo, que poderia ser derivado de "pressões políticas domésticas inevitáveis", Rato ressaltou que o mundo já conhece as "graves" conseqüências desse tipo de política na economia.

Segundo o ex-diretor do FMI, a reunião em Washington é uma oportunidade para que os países tomem uma posição "inequívoca" sobre a liberalização comercial e sobre a possibilidade de abrir uma segunda fase, "não fácil, mas necessária", de liberalização dos investimentos em nível mundial.

De acordo com ele, deveria sair da cúpula de Washington, "de maneira imediata", um compromisso para fechar as negociações da Rodada de Doha, realizadas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) para o avanço nas regras do comércio mundial.

Convencido de que as condições macroeconômicas serão determinantes para sair da crise, Rato considerou que a economia de mercado "não fracassou", mas ressaltou a necessidade de existirem regras e de oferecer ao sistema a máxima transparência. EFE so/fh/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG