Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Excesso de chuva reduz produção agrícola de SC

O excesso de chuvas em Santa Catarina vai reduzir a produção agrícola local, informou nesta quinta-feira a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) que, em conjunto com os sindicatos rurais, realiza um levantamento para apurar os prejuízos na região atingida por enchentes e deslizamentos de barreiras. Dados preliminares indicam forte queda na produção de feijão.

Agência Estado |

 

Dos 70 mil produtores de feijão de Santa Catarina, 80% foram atingidos. A produção deve somar 75 mil toneladas, metade da estimativa inicial. A perda representa prejuízo de R$ 124 milhões.

A Faesc estima também que a safra de arroz terá queda de 15%, o que significa que 165 mil toneladas serão perdidas com prejuízo de R$ 96 milhões. Também há problemas com o trigo. A produção estimada em 250 mil toneladas terá perda de 20%. A entidade informa ainda que todas as propriedades dos 18 mil produtores de cebola do Estado foram atingidas pelas chuvas. A expectativa é de produção de 200 mil toneladas de cebola, metade do previsto inicialmente. Os produtores terão prejuízo de R$ 100 milhões.

Os produtores de fumo terão, no total, prejuízo de R$ 48 milhões já que no mínimo 20% da safra será perdida. Outros R$ 12,5 milhões serão perdidos pelos produtores de mel e a safra de 5 mil toneladas terá queda de 50%. A Faesc também prevê dificuldades para os pecuaristas de leite. Os 75 mil produtores de leite terão prejuízos estimados em R$ 6 milhões, pois a perda é de 10% da produção diária. Na pecuária de corte, a perda estimada é de R$ 5 milhões.

No caso do milho e da soja, a preocupação não é a chuva, mas a seca registrada nos últimos dias. Em algumas regiões, informou a Faesc, não chove a 15 dias na região do Estado catarinense. "O quadro é grave para a agricultura como um todo. Onde não há excesso há falta de chuva. Nesse momento é muito difícil calcular o valor real do rombo, mas sabemos que é muito dinheiro", afirmou o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri.

Leia mais sobre agricultura

Leia tudo sobre: agricultura

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG