Tamanho do texto

SÃO PAULO - O ex-executivo-chefe do Merrill Lynch, John Thain, pediu demissão hoje do Bank of America (BofA), segundo informou a edição online do Wall Street Journal, sem citar fontes. Após a fusão dos bancos, ele chefiava atualmente a divisão global de banco de investimento da instituição.

A saída de Thain da equipe teria sido motivada pela perda de confiança por parte do CEO do BofA, Kenneth Lewis.

De acordo com reportagem do WSJ publicada na edição de hoje, o executivo-chefe do Bank of America não gostou de ficar sabendo do tamanho dos prejuízos do Merrill Lynch - que atingiram US$ 15 bilhões no quarto trimestre, bem acima das expectativas - pela equipe responsável pelo trabalho de transição dos negócios e não diretamente por Thain.

Ao saber que o buraco do antigo rival era maior que o esperado, Lewis teve que pedir ajuda adicional ao governo para conseguir concluir a aquisição. O Tesouro dos EUA teve que injetar mais US$ 20 bilhões no capital do banco e oferecer garantia para mais de US$ 100 bilhões em ativos de qualidade duvidosa.

(Valor Online, com agências internacionais)