Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Excedente comercial japonês sofre uma forte redução de 94% em setembro

O Japão registrou um excedente comercial de apenas 95,1 bilhões de ienes (730 milhões de euros) em setembro, em uma queda de 94% comparado ao mesmo mês de 2007 por causa de uma diminuição nas exportações para América do Norte e Europa, anunciou nesta quinta-feira o Ministério das Finanças.

AFP |

O Japão sofreu em setembro uma queda de 10,9% em um ano de suas exportações para os Estados Unidos e de 8% para as nações da Europa ocidental, enquanto que as importações provenientes desses países aumentaram.

A crise financeira mundial, que derruba o consumo no Ocidente ameaçado de recessão, repercute na demanda de produtos originários do Japão, a começar pelos automóveis e caminhões, os equipamentos industriais, os produtos audiovisuais e os equipamentos de construção.

Mesmo que em nível mundial as exportações de carros japoneses tenha aumentado um pouco, elas perderam 17,5% de seu valor em um ano para os Estados Unidos e 10,9% para a União Européia, segundo estatísticas ministeriais.

O excedente comercial japonês de setembro ficou bem abaixo das previsões.

Os economistas esperavam em média um saldo positivo de 546,1 bilhões de ienes, segundo uma sondagem realizada pelo jornal Nikkei.

A queda de setembro passado prolonga a tendência ruim iniciada há vários meses. O Japão havia registrado em agosto um déficit comercial de 324 bilhões de ienes.

Para o primeiro semestre do ano orçamentário (abril a setembro), o excedente comercial japonês caiu 85,6% em um ano a 802 bilhões de ienes, as exportações ganharam apenas 2,5%, enquanto que as importações aumentaram de 16,1% a um nível recorde, por causa do aumento dos preços do gás, do carvão e do petróleo durante esse período.

Apenas para o mês de setembro, as exportações japonesas subiram em valor apenas 1,5% em um ano, a 7,367 bilhões de ienes, enquanto que a fatura das importações disparou 28,8%, a 7,272 bilhões de ienes.

O Japão viu principalmente seu déficit comercial com a China triplicar em relação a setembro de 2007, a 247 bilhões de ienes.

Já o aumento global das importações é gerado principalmente pelo aumento dos preços dos hidrocarbonetos e de outros recursos essenciais provenientes dos países árabes e da Oceania.

A situação do país pode piorar ainda mais com os anúncios de quedas nos lucros das empresas.

A gigante dos produtos eletrônicos Sony anunciou nesta quinta-feira uma forte revisão para baixo de suas previsões de resultados financeiros para este ano, afetada em cheio pela conjuntura mundial degradada e pela alta do iene.

A Sony, que já havia baixado suas previsões em julho, conta apenas com um lucro líquido anual de 150 bilhões de ienes (1,15 bilhão de euros), contra 240 bilhões previstos anteriormente e 290 bilhões indicados no início de suas previsões.

Enfraquecida pelos resultados preocupantes da economia, a Bolsa de Tóquio fechou em queda de 2,46% nesta quinta-feira, depois de ter chegado a registrar um resultado negativo de 7,5% durante a sessão.

kap/dm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG