Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Evidências de recessão assustam e Bovespa desaba 5%

Por Aluísio Alves SÃO PAULO, 1o (Reuters) - Depois de uma semana surfando em notícias de pacotes para salvar bancos e estimular a economia, uma bateria de dados econômicos desanimadores levou os investidores da Bolsa de Valores de São Paulo de volta à ponta vendedora.

Reuters |

Em linha com os principais mercados internacionais, o Ibovespa desabou 5,07 por cento, aos 34.740 pontos. O movimento se deu noutra sessão de baixo giro financeiro: 2,74 bilhões de reais, um dos menores do ano.

Queda de um índice de atividade manufatureira dos Estados Unidos ao menor patamar desde 1982, pior desempenho do setor industrial europeu em mais de uma década, fabricantes de celulares cortando metas de vendas de 2009 --esse foi o pano de fundo que produziu perdas acentuadas nos mercados de ações e no de commodities.

Por aqui, o noticiário não foi melhor. De acordo com a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), as vendas de veículos no Brasil recuaram 25,7 por cento em novembro sobre outubro.

"Está patente que o mundo está entrando em recessão", disse Newton Rosa, economista-chefe da SulAmerica Investimentos. "Isso esvaziou o otimismo da semana passada, com os anúncios de pacotes para estimular a economia."

Na bolsa paulista, ações de empresas ligadas a matérias-primas foram as mais machucadas.

Gerdau desabou 9,1 por cento, para 18,55 reais. Petrobras encolheu 8,3 por cento, a 18,40 reais, numa variação semelhante à registrada pelo barril do petróleo. Vale caiu 6,6 por cento, a 22,89 reais.

A queda do índice não foi ainda maior porque a própria desvalorização do petróleo deu fólego às ações de empresas que têm na commodity um de seus principais custos.

Foi o caso das aéreas. Gol, a melhor do índice, subiu 6,4 por cento, a 9,28 reais. Tam teve ganho de 3,2 por cento, para 16 reais.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG