Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Europeus reclamam de proposta para o minério

O embate entre mineradoras e siderúrgicas em torno do preço do minério de ferro que vai vigorar este ano em contratos de longo prazo promete esquentar nas próximas semanas. Ontem, a Confederação Europeia de Siderurgia (Eurofer) quebrou o silêncio para reclamar da proposta das mineradoras de reajuste de 80% a 90% para o insumo.

Agência Estado |

Em nota divulgada à imprensa, a Eurofer alegou estar "indignada" com a oferta, feita em um momento em que a indústria ainda se recupera dos estragos provocados pela crise internacional. Segundo a associação, a alta poderia contribuir para a volta da recessão na região. "Isso vai reduzir a demanda por muitos produtos sensíveis ao preço e, por isso, vai desacelerar a recuperação econômica ou até mesmo levar as economias de volta à recessão", diz.

Mas não é só na Europa que as negociações estão emperradas. Ontem, o jornal chinês National Business Daily revelou que a brasileira Vale abandonou as negociações com siderúrgicas chinesas por não aceitar a proposta de um reajuste mais modesto para o minério de ferro este ano. Segundo fontes do jornal, a oferta seria de um aumento em torno de 40%.

O crescimento na demanda por insumos básicos nos últimos meses, refletido na alta do preço do minério de ferro no mercado à vista, coloca as mineradoras em uma posição privilegiada nas negociações deste ano. Mas Juliano Navarro, analista do BES Securities, alerta que o cenário estar favorável às mineradoras não quer dizer que a negociação será fácil.

Segundo o analista, as negociações caminham para que as mineradoras consigam fechar um preço de referência para os contratos de longo prazo primeiro com siderúrgicas do Japão e da Coreia. Já na China, o acordo caminharia, na avaliação dele, para um modelo mais flexível, que ofereça contratos com prazos mais curtos e com o custo de frete já incluído no preço fechado.

Na nota divulgada à imprensa, a Eurofer alfineta as mineradoras ao se dizer surpresa que o pedido de reajuste tão elevado venha de empresas que, mesmo na pior crise da economia mundial nos últimos 80 anos, mostram margens de geração de caixa na faixa dos 50% por tonelada.

"A indústria siderúrgica está cada vez mais preocupada com o grau de concentração na indústria de minério de ferro. (...) A indústria siderúrgica europeia já indicou às autoridades de concorrência as preocupações com o poder de preços excessivos agora detidos pelos produtores de minério de ferro", concluiu.

CAPTAÇÃO
A Vale anunciou ontem que vai emitir bônus no mercado europeu, mas não revelou o valor. Segundo a empresa, os recursos captados serão utilizados para fins "corporativos". A emissão será coordenada pelos bancos BNP Paribas, Crédit Agricole, HSBC e Santander. Para analistas, a captação deve ser usada para melhorar a estrutura da dívida da companhia e também para reforçar o caixa da empresa, que recentemente comprou a empresa de fertilizantes Fosfértil.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG