Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Europa prepara pacote de 130 bi de euros contra a recessão

A Europa elabora um plano que vai usar 1% de seu Produto Interno Bruto (PIB) para combater a recessão. Ontem, o governo alemão revelou que o plano da União Européia prevê 130 bilhões para um pacote de incentivos a diferentes setores.

Agência Estado |

Alemanha, Itália e Reino Unido terão planos próprios, com recursos bilionários.

"Vamos gastar 1% do PIB de cada Estado-membro da UE", afirmou Anne Kathrin Roethemeyer, porta-voz do ministro da Economia da Alemanha, Michael Glos.

Há uma semana, a Europa anunciou que seu PIB já esta encolhendo, realidade que também afeta o Japão e pode atingir os Estados Unidos já em 2009. Os maiores grupos industriais europeus afirmaram no início da semana que o pacote de medidas proposto pelo G-20, na cúpula de Washington, não é suficiente para tirar o bloco da recessão e a crise será mais longa do que todos pensavam.

O pacote de estímulo em estudo envolveria medidas a todos os setores e o fundo comum teria o aporte de 1% do PIB de cada país do bloco. Para a Alemanha, significará uma contribuição de 25 bilhões, segundo o gabinete de Glos. O governo de Angela Merkel hesitou desde a eclosão da crise em compartilhar uma solução para os problemas. Berlim se opôs a um pacote europeu para salvar os bancos e também à criação de um governo europeu para lidar com a economia.

Mas, com uma recessão que se espalha e se mostra cada vez mais profunda, a diplomacia alemã estaria aceitando um pacote europeu para salvar a economia da região. O plano será apresentado no dia 26, em Bruxelas.

A revelação do pacote obrigou Bruxelas a explicar o que estaria para ocorrer. O porta-voz da Comissão Européia, Johannes Laitenberger, deixou claro ontem que os detalhes do plano ainda não estavam fechados. Para evitar problemas políticos com outros governos, Bruxelas também evitou falar do tamanho do pacote. "Ainda é prematuro falar sobre as orientações específicas do pacote e de seu tamanho porque ainda estamos trabalhando e tentando obter uma decisão política final."

"Ainda estamos trabalhando num pacote", afirmou o escritório do comissário de Economia da UE, Joaquin Almunia. Em artigo que será publicado hoje no Financial Times, o governo alemão diz que o valor de 130 bilhões já inclui o que cada país vai injetar na própria economia.

O orçamento comum europeu é considerado limitado e não teria condições de aportar todos os recursos. A idéia é de que um fundo comum ajude países do Leste Europeu que estão sendo contaminados pela crise.

Ao Estado, o gabinete do primeiro-ministro espanhol, José Luis Zapatero, informou que o plano europeu terá três pilares. O primeiro será o plano de investimento em tecnologias ambientais. A UE aposta no setor para resolver dois problemas de uma só vez: criar empregos na "economia verde" e estabelecer uma nova base industrial para o continente, com tecnologias que reduzirão as emissões de CO2.

O segundo pilar será o incentivo à pesquisa e desenvolvimento, com linhas de crédito e apoios específicos a entidades de desenvolvimento e pesquisa de alto valor agregado. Para completar, o pacote também prevê investimentos em infra-estrutura, criando empregos e dando incentivos às empresas.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG