As principais bolsas européias fecharam sem direção definida hoje, com predominância de perdas nos mercados da região, pondo fim aos ganhos registrados nas três sessões anteriores desta semana, com a queda no setor de tecnologia prevalecendo sobre a alta dos papéis ligados ao petróleo. Os investidores também reagiram negativamente aos dados econômicos divulgados nesta quinta-feira nos Estados Unidos, incluindo o número de pedidos de auxílio-desemprego na semana passada, que atingiu o mais alto nível semanal em 26 anos e o inesperado aumento do déficit comercial norte-americano em outubro, pela primeira vez em três meses.

Entre as que fecharam em alta, a Bolsa de Londres subiu 0,49% e a de Madri avançou 0,33%. Já a Bolsa de Paris recuou 0,43%, a de Frankfurt perdeu 0,78%, a de Lisboa teve baixa de 0,26% e a de Milão caiu 0,77%.

O setor de tecnologia se destacou na lista de baixa, sob o impacto de questões cambiais. Alcatel-Lucent caiu 2,4% e STMicroelectronics perdeu 2,2%, em meio à acentuada baixa do dólar em relação ao euro. Apesar destes declínios, o mercado londrino encontrou suporte nas petroleiras. BP subiu 4,8% e Royal Dutch Shell fechou em alta de 2,7%. Tullow Oil disparou 20% no mercado londrino após informar que perfurações bem sucedidas em Gana e Uganda deverão resultar em elevações significativas de seus recursos de petróleo.

No Reino Unido, o setor de varejo foi novamente foco por conta da guerra de preços. O supermercado Tesco fechou em baixa de 2% após anunciar descontos de 50% em centenas de produtos para atrair clientes.

Em meio à expectativa da ajuda do governo dos EUA às montadoras, o governo da Suécia anunciou um pacote de 28 bilhões de coroas (US$ 3,44 bilhões) para seu setor automobilístico. As ações da Volvo caíram 2,2% e as da Saab subiram 1,2%. Suas holdings norte-americanas, Ford e General Motors (GM), juntamente com a Chrysler estão aguardando a aprovação pelo Senado dos EUA de um pacote de crédito estimado em US$ 14 bilhões. Em Milão, Fiat caiu 5%. As informações são da agência Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.