Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Europa ensaia recuperação com apostas de corte de juro

As bolsas européias ensaiam recuperação, em meio a especulações no mercado de que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) poderá cortar o juro para zero em sua próxima reunião, relatou um operador. Operadores também disseram que a divulgação de queda recorde no índice de preços ao produtor da zona do euro em outubro colaborou para as bolsas saírem das mínimas, já que reforçou a aposta de um corte acima do esperado no juro pelo Banco Central Europeu (BCE).

Agência Estado |

Mas as ações de mineradoras e siderúrgicas sofrem por causa dos temores sobre a desaceleração da economia global, que derrubam os preços dos metais, enquanto os papéis de bancos caem devido às preocupações com a perspectiva para o setor.

Às 8h55 (de Brasília), a Bolsa de Londres tinha leve alta de 0,04%, Paris cedia 0,01% e Frankfurt avançava 1,29%. O futuro Nasdaq 100 ganhava 1,51% e o S&P 500 tinha alta de 1,48%.

"Um corte de juro pelo Fed talvez possa ajudar no curto prazo, mas os juros não estão muito longe de zero e isso pode levar a uma inflação elevada mais tarde", comentou o operador.

O índice de preços ao produtor (PPI) da zona do euro caiu 0,8% em outubro frente a setembro, a maior queda nessa base de comparação desde o início da série, em 1990. Frente a outubro do ano passado, o PPI apresentou elevação de 6,3%, informou a agência de estatísticas da União Européia, a Eurostat.

Entre as mineradoras e siderúrgicas, ArcelorMittal perdia 0,94%, Rio Tinto caía 6,04%, Xstrata recuava 4,98%, Anglo American caía 2,28% e BHP Billiton cedia 2,3%. Na Comex eletrônica, o cobre para janeiro caía 2,38%, a US$ 1,5790 a libra peso

Das ações de bancos, Fortis recuava 1,06%, enquanto Société Générale declinava 8,3% e Lloyds TSB perdia 3,9%.

Na contramão, as ações de varejistas operam em alta, na esteira dos números fortes de vendas da rede de supermercados britânica Tesco no terceiro trimestre. As ações da Tesco subiam 6,6%, Carrefour ganhava 0,3% e WM Morrison Supermarkets tinha alta de 1,5%.

A Tesco informou que as vendas totais no período subiram 11,7% e as vendas comparáveis no Reino Unido avançaram 2%, acima do esperado. A empresa disse que, apesar dos fortes ventos contrários econômicos nos principais mercados, os negócios principais no Reino Unido tiveram progresso sólido, as operações internacionais registraram crescimento excelente e as áreas não ligadas a alimentos tiveram boa performance em condições bastante limitadas. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG