Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Europa articula ajuda à Grécia, dizem jornais

A Alemanha e a França estudam assumir a liderança de um pacote de 30 bilhões de euros de ajuda à Grécia, informou o jornal austríaco Kurier, citando negociações secretas entre os governos.

Agência Estado |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561692489&_c_=MiGComponente_C

O jornal francês "Le Monde" disse que a zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda) está próxima de fechar um acordo para conceder à Grécia entre 20 bilhões de euros e 25 bilhões de euros. O periódico cita documentos secretos que foram enviados aos comissários da União Europeia.

De acordo com o Kurier, Alemanha e França teriam juntos produzido um acordo que, no todo, daria um suporte financeiro de 55 bilhões de euros à Grécia, por meio de uma cesta de garantias de crédito e compras de bônus governamentais antes do fim do ano. Sem citar fontes, o jornal diz que a chanceler alemã Angela Merkel pretende comprometer-se com 20 bilhões de euros, enquanto o presidente francês, Nicolas Sarkozy, prepara-se para gastar até 10 bilhões de euros.

Os governos alinharam seus planos com o Banco Central Europeu (BCE). Para evitar agitação, o governo alemão pediu que a ajuda fosse iniciada no feriado de Páscoa, quando os mercados europeus estão fechados.

O "Le Monde" informa que o plano de ajuda dos países da zona do euro está sendo discutido nesta sexta-feira por representantes do Tesouro dos países, da Comissão Europeia e do BCE. Duas opções são estudadas. Os países poderiam lançar uma linha de crédito financiada pelos membros da zona do euro ou criar uma linha financiada por empréstimos da União Europeia.

A primeira opção, de acordo com o documento obtido, seria mais fácil no curto prazo. A segunda seria viável no médio prazo e evitaria que os 16 países que utilizam o euro tivessem de recorrer a seus orçamentos. Vários países, incluindo a Bélgica, insistiram que qualquer atitude deve ser coordenada nos parâmetros da União Europeia e não apoiar-se em iniciativas da França e da Alemanha. As informações são da Dow Jones.

Leia mais sobre: Grécia 

Leia tudo sobre: crisegrécia

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG