Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Europa abre em forte queda pelo segundo dia

As bolsas européias abriram em forte baixa pelo segundo dia consecutivo, com os bônus dos governos em nova alta e o iene ficando mais uma vez como a moeda escolhida pelos investidores defensivos. Espera-se outro dia de negociação frenética depois da confirmação de que a Lehman Brothers Holdings negocia um plano de última hora para vender alguns de seus ativos para o Barclays.

Redação com agências |

 

Acordo Ortográfico

Às 5h09 (de Brasília), as ações do banco britânico despencavam 14,05% na Bolsa de Londres, para 301,25 pence.

Os mercados aguardam a reunião do comitê de política monetária do banco central dos EUA (FOMC, na sigla em inglês), que pode decidir por um corte emergencial na taxa de juros. "O FOMC provavelmente será forçado a cortar as taxas para reforçar a confiança no sistema financeiro", disseram, em relatório, analistas do BNP Paribas.

Por volta de 5h17, o índice FTSE 100 da Bolsa de Londres caía 1,74%, a 5.113,80 pontos. Em Frankfurt, o DAX baixava 1,53%, a 5.921,58 pontos e o CAC-40 da Bolsa de Paris recuava 1,4%, a 4.110,48 pontos. O índice europeu Dow Jones Stoxx 600 descia 1,54%, para 266,52 pontos.

"As ações financeiras devem ficar sob escrutínio, embora os anúncios de resultados dos principais bancos de investimento hoje e amanhã possam injetar um grau de confiança no mercado, supondo-se que não haja surpresas", afirmou Matt Buckland, operadora da CMC Markets. Na Bolsa de Londres, as ações do HBOS, maior banco hipotecário do Reino Unido, afundavam 10,65%, para 207,75 pence. Os papéis do banco Fortis perdiam 4,79%, a 7,95 euros. Em Madri, as ações do Santander baixavam 2,18%, para 10,33 euros; e em Frankfurt, as do Deutsche Bank recuavam 3,39%, a 52,37 euros.

Por volta de 5h24, o euro era negociado a US$ 1,4243, quase inalterado em relação ao US$ 1,4244 do fechamento de ontem em Nova York. O dólar havia recuado para 103,73 ienes, de 104,67 ienes do fechamento de ontem. As informações são da Dow Jones.

Bolsas asiáticas

As bolsas da Ásia tiveram fortes perdas nesta terça-feira, quando investidores no Japão, Coréia do Sul e Hong Kong voltaram de um feriado prolongado para enfrentar a turbulência que circula pelos mercados financeiros globais.

O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio fechou hoje em forte queda de 605,04 pontos (5,06%), aos 11. 609,72.

Esta é a maior baixa do Nikkei em três anos, devido à falência do Lehman Brothers.

O indicador Topix, que reúne todos os valores da primeira seção, caiu 59,63 pontos (5,63%), para 1.177,57.

O índice Kospi da Bolsa de Seul terminou em baixa de 90,17 pontos (6,10%), aos 1. 387,75. O indicador de valores tecnológicos Kosdaq perdeu 37,62 pontos (8,06%), para 429,29.

Já o índice geral da Bolsa de Xangai caiu no fechamento de hoje 93,03 pontos (4,47%), aos 1. 986,64, arrastada pela crise do mercado mundial.

(*Com informações das Agências Estado, EFE e AFP)

Leia mais sobre: crise dos EUA

Leia tudo sobre: bolsa de valores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG