Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Eurogrupo não adotará medidas de emergência para conter crise

Nice (França), 12 set (EFE).- A crise econômica está atingindo a Europa de forma mais intensa que o previsto, mas a solução não está em adotar medidas de urgência mas em seguir aplicando a mesma política dos últimos anos, ressaltaram hoje os ministros de Finanças da eurozona (Eurogrupo).

EFE |

"O arrefecimento é mais acentuado do que todos esperávamos", reconheceu o presidente do Eurogrupo e primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, que ressaltou que a situação requer uma "reação comum" e não respostas desordenadas de cada país.

Juncker excluiu, em qualquer caso, que a eurozona entre em recessão este ano e reiterou que não convém adotar um plano de choque como o aprovado pelas autoridades americanas.

Tanto o presidente do Eurogrupo como o comissário de Assuntos Econômicos e Monetários, Joaquín Almunia, deixaram claro que todos os Governos da zona do euro compartilham o mesmo enfoque sobre a desaceleração e, sobretudo, estão de acordo em que a receita mais adequada para enfrentá-la é já aplicada há anos.

Na reunião de hoje, os ministros dos países que fazem parte da eurozona acordaram que o primeiro-ministro luxemburguês deve seguir à frente deste fórum informal por mais dois anos, desde que continue no Governo de seu país após as eleições previstas para o próximo verão europeu. EFE epn/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG