Tamanho do texto

As unidades frigoríficas brasileiras que foram retiradas da lista de exportadores para os Estados Unidos não são do grupo Marfrig, como vinha sendo comentado pelo mercado. Em nota oficial, a empresa comunica que todas as suas plantas habilitadas a exportar carne bovina industrializada para os Estados Unidos continuam a operar normalmente e sem nenhuma restrição.

Fontes do governo confirmaram que o Marfrig continua com todas as plantas habilitadas e que as duas plantas desabilitadas são a unidade de Andradina (SP) do JBS-Friboi e a planta de Itupeva (SP) da International Food Company (IFC) Indústria de Alimentos.

No site do Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar dos Estados Unidos (FSIS, na sigla em inglês) consta que além das duas plantas que saíram da lista nesta semana, no primeiro trimestre deste ano outras duas unidades da IFC, uma outra do JBS-Friboi e uma do Frigorífico Alto Norte já haviam sido excluídas da lista de exportadores para o mercado americano.

A lista de 22 frigoríficos habilitados a exportar carne bovina industrializada para os Estados Unidos foi reduzida para 20 por técnicos do governo norte-americano que estiveram em vistoria no País nos últimos 15 dias. Ontem, os técnicos informaram que as duas plantas que deixaram a lista não atenderam a regras exigidas para vender ao mercado dos Estados Unidos.

De janeiro a junho, o Brasil exportou para os Estados Unidos 26,4 milhões de toneladas a um preço médio de US$ 5.397,16 por tonelada. Em volume, as exportações do primeiro semestre recuaram 22% em comparação ao mesmo período do ano passado, mas o preço médio da tonelada de carne vendida para os americanos subiu 12% no período.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.