O Departamento de Tesouro dos Estados Unidos e o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) anunciaram ontem medidas drásticas que incluem empréstimos e, se necessário, a compra de ações das gigantes de hipotecas Fannie Mae e Freddie Mac, que estão em dificuldades. Em um anúncio que precede uma grande venda de títulos da Freddie Mac hoje - cujo valor chega a US$ 3 bilhões -, o Tesouro norte-americano e o Fed revelaram uma série de medidas para deixar claro que as autoridades dos Estados Unidos pretendem que as duas empresas sigam em atividade.

"O fortalecimento dessas instituições é importante para manter a confiança e a estabilidade em nosso sistema financeiro e em nossos mercados", disse, em comunicado, o secretário do Tesouro, Henry Paulson. "Por isso, devemos tomar medidas para enfrentar a atual situação de forma a conseguirmos uma estrutura regulatória mais forte." As medidas, no entanto, ainda dependem da aprovação do Congresso americano.

Entre as principais medidas a serem adotadas, o Tesouro dos EUA pretende elevar uma linha federal de crédito disponível para cada companhia, até um limite a ser determinado pelo próprio Tesouro. Atualmente, cada companhia tem direito a uma linha de US$ 2,25 bilhões. Além disso, o Fed deve autorizar as duas companhias a terem acesso à "janela de redesconto", um instrumento pelo qual o Fed empresta dinheiro a instituições financeiras em dificuldades. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.