WASHINGTON (Reuters) - A taxa de desemprego nos Estados Unidos subiu inesperadamente para 6,1 por cento em agosto, maior nível em mais de quatro anos e meio, após o oitavo mês seguido de fechamento de vagas. O Departamento de Trabalho informou nesta sexta-feira que 84 mil empregos foram eliminados em agosto, número significativamente maior que os 75 mil previstos por economistas ouvidos pela Reuters. Os cortes de julho e junho foram elevados após revisão, de 51 mil em cada mês para 60 mil e 100 mil, respectivamente.

Funcionários do departamento disseram que a taxa de desemprego em agosto foi a maior desde dezembro de 2003.

Analistas esperavam que a taxa se mantivesse em 5,7 por cento.

As contratações tiveram queda acentuada em quase todos os setores. Cerca de 61 mil empregos foram perdidos no setor manufatureiro, a maior baixa mensal desde meados de 2003, e 8 mil postos foram fechados na construção. Em serviços profissionais e de negócios, 51 mil vagas foram eliminadas, além de mais 4 mil nos setores de lazer e hospitalidade.

O número médio de horas trabalhadas permaneceu em 33,7, mas os empregadores reduziram as horas extras de 3,8 para 3,7 em agosto.

(Reportagem de Glenn Sommerville)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.