Washington, 24 jul (EFE).- O número de casas vazias nos Estados Unidos bateu recorde no segundo trimestre, enquanto a recessão do setor imobiliário empurrou mais compradores à execução hipotecária, informou hoje o Escritório do Censo americano.

Ao fim do trimestre, havia 18,6 milhões de imóveis vazios, isto é, 6,9% a mais que um ano antes, indicou o relatório.

O colapso do mercado hipotecário causou perdas de empréstimos e depreciação de ativos no valor de mais de US$ 467 bilhões às maiores firmas financeiras dos Estados Unidos desde meados de 2006.

Esta semana, o Congresso e a Administração Bush chegaram a um acordo sobre um plano que injetará capitais em Fannie Mae e Freddie Mac, as duas maiores empresas de hipotecas, as quais têm em suas mãos quase a metade da dívida hipotecária do país, de US$ 12 trilhões.

A taxa de imóveis vazios, isto é a proporção de todas as casas e apartamentos vazios à venda, foi de 2,8%. No primeiro trimestre, a taxa tinha alcançado o recorde histórico de 2,9%, assinalou o Escritório do Censo.

A Associação Nacional de Agentes de Bens Imobiliários informou hoje que as vendas de imóveis usados caíram em junho a seu menor nível em uma década e desceram 15,5% em um ano.

A combinação de ambos os relatórios afetou as ações das empresas de construção na Bolsa de Valores. Um índice da firma Standard and Poor sobre as companhias construtoras de imóveis desceu 6,3%.

O estudo do Escritório do Censo indicou que no segundo trimestre deste ano havia nos Estados Unidos 129,9 milhões de imóveis. Além das casas e apartamentos vazios e à venda, o relatório contou 4 milhões sem alugar, e outros 4,8 milhões de imóveis que estavam vazias por ciclos de temporada. EFE jab/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.