A presidente da agência americana de garantia de depósitos bancários, Federal Deposit Insurance Corp. FDIC, Sheila Bair, sugeriu nesta quinta-feira a concessão de um incentivo financeiro aos bancos para transformar créditos imobiliários em mora em hipotecas mais fáceis de pagar, a fim de evitar despejos.

A ajuda do Estado "poderia ser utilizada pelos concessores para modificar os (termos dos) empréstimos", propôs Bair, durante audiência ante um Comitê do Congresso sobre a crise financeira.

A funcionária citou o caso do banco IndyMac, com sede em Pasadena (Califórnia, oeste), do qual a FDIC é avalista desde sua quebra em julho pasado.

De um portfólio de 712.000 créditos hipotecários, a IndyMac contava com 60.000 em inadiplência. Segundo Bair, sua agência deteve as retomadas de residências e identificou 40.000 empréstimos "suscetíveis de serem transformados" em créditos capazes de serem quitados por seus titulares. Um total de 3.500 devedores já aceitaram as propostas da FDIC, segundo Bair, destacando que as prestações foram reduzidas, em média, para 380 dólares por mês.

A FDIC começou a aplicar um programa semelhante de refinanciamento de créditos nos organismos hipotecários Fannie Mae e Freddie Mac, que passaram recentemente para a tutela do Estado, acrescentou.

Segundo o Wall Street Journal, o Tesouro avalia a proposta, de aproximadamente 40 bilhões de dólares, para tentar evitar as execuções de hipotecas, além de estudar, também, outros planos para negociar.

fka/fga/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.