Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

EUA: emprego em queda confirma fase brutal da recessão

O mercado de trabalho continua se deteriorando de maneira irreversível nos Estados Unidos, onde o setor privado já perdeu 250.000 empregos em novembro, confirmando que a maior economia do mundo passa pela fase mais brutal de sua recessão.

AFP |

O setor de serviços, vital para a economia americana, foi atingido em cheio pela crise: o ISM, termômetro da atividade no setor, mostra uma queda muito pior do que esperavam os analistas. Uma pesquisa sobre emprego da consultoria de recursos humanos ADP chega a uma conclusão semelhante.

A queda da atividade no setor de serviços nos Estados Unidos se intensificou dramaticamente em novembro em relação ao mês anterior, indicou o índice da associação nacional de diretores de compras ISM, que chegou a 37,3 pontos, contra 44,4 pontos em outubro.

É o nível mais baixo do índice desde que ele começou a ser calculado, em 1997. Os economistas esperavam que esta contração chegasse a no máximo 42 pontos.

"O naufrágio da atividade de serviços em novembro serve como uma nova e mórbida lembrança das conseqüências potencialmente devastadoras da dolorosa e longa recessão que enfrentamos", destacou Brian Bethune, da consultoria IHS Global Insight.

O índice registrou uma redução em três de seus componentes essenciais: produção, novos pedidos e emprego - todos atingiram os níveis mais baixos até hoje.

O setor de serviços representa mais de três quartos dos empregos americanos, e é responsável por cerca de 80% da riqueza produzida no país.

Suas dificuldades se somam às enfrentadas pelo setor industrial, que passa por maus bocados há dois anos e registrou em novembro a maior queda de sua atividade desde 1982, segundo o índice ISM industrial, divulgado na última segunda-feira.

A pesquisa da consultoria ADP confirmou, por sua vez, uma degradação cada vez mais acelerada do mercado de trabalho. Segundo o estudo, o setor privado americano suprimiu 250.000 empregos em novembro, que se somam aos 179.000 de ouutubro e aos 26.000 de setembro.

Estes números têm assombrado o mercado, que agora espera perplexo pelo relatório oficial sobre o mercado de trabalho, que será publicado na próxima sexta-feira pelo Departamento do Trabalho.

Desde dezembro de 2007, os Estados Unidos já eliminaram ao todo um milhão de empregos.

mj/ap/sd

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG